Tag Archives Plus Size

Estilo Plus Size: Mary Lambert

por
Resolvi criar essa coluna/tag aqui no blog, porque quero sempre trazer inspirações plus size para vocês. O fato é que muitas vezes crescemos tendo como inspirações pessoas muito diferentes de quem somos e com as quais nunca seremos parecidas. Parece loucura, mas muitas meninas e mulheres correm atrás de um padrão de beleza que nunca vão alcançar e por conta disso, se sentem inadequadas para o mundo, infelizes e inseguras. Mas precisamos entender que não existe inadequação, e se você está se sentindo meio perdida no meio do caminho, não significa que seja inadequada, mas simplesmente está se inspirando nas pessoas erradas. Fico pensando em quanto sofrimento seria evitado se todas as mulheres começassem a tomar posse dessa verdade e a aplicasse nas suas vidas! Mas fico feliz em saber que podemos entender e vivenciar isso agora, porque um novo tempo chegou em nossas vidas! E a inspiração plus size de hoje é a cantora Mary Lambet, essa lindeza de 26 anos e com uma voz maravilhosa, que vem colecionando fãs ao redor do mundo. Pelo que percebi, ela assim como eu, é fã de vestidos e de um estilo retrô/pin-up, do jeitinho que eu gosto também, e consegue ter uma beleza genuína e muito especial. Infelizmente atrás do seu doce sorriso, se esconde uma história triste de abuso sexual na infância, problemas familiares, imposições religiosas, transtorno bipolar e sua luta para finalmente aceitar sua sexualidade (ela é lésbica). Ela aprendeu a compor e tocar piano aos seis anos de idade, como um mecanismo de fuga para fugir de tudo o que passava na em um lar abusivo e traumático. Como toda mulher acima do peso e do tal padrão estabelecido pela sociedade e pela mídia, ela também enfrentou grandes traumas diante do espelho, por causa da imagem distorcida que tinha de si mesma. Felizmente, a música tem lhe feito muito bem, e a possibilidade de levar seu talento e sua arte às pessoas, tem lhe deixado cada dia mais confiante e mais linda. Abaixo alguns looks da moça e não me canso de dizer que eu amo o seu estilo de se vestir.

No clipe da música “Secrets”, Mary exorciza seus maiores medos e frustrações, fazendo referência à tudo pelo que passou e passa, deixando claro que não precisamos viver reféns dos nossos segredos. Na maioria das vezes, tudo o que precisamos fazer é não dar tanta importância à eles, deixar o passado para trás para vivermos o presente com bom humor, não levando nada tão à sério. Sendo assim, amigues, que tal começarmos a nos amar mais, investir mais em nós mesmas, em quem somos e corrermos atrás dos nossos sonhos? A vida nem sempre é um mar de rosas, e como ela não vai ficando mais fácil, a gente é que tem que ir ficando mais forte. Ah, eu fiquei completamente apaixonada pelo vestido que ela usa no vídeo, e já quero ele pra mim! Pode ser, produção?
Até a próxima!

Porque a nudez de uma gorda te choca tanto?

por
Desde que as fotos nuas da atriz Priscilla Marinho foram divulgadas para a mídia, muita gente se pronunciou à favor, mas muita gente se pronunciou contra também. O fato é que eu vi vários comentários maldosos nas redes sociais, em especial, no Facebook e como boa observadora que sou, entendi que a “revolta” das pessoas não era porque ela tinha tirado fotos nua, mas porque ela é gorda! Uma coisa que eu aprendi nesses anos todos que eu me exponho na internet dando a minha opinião, é que na hora de se julgar alguma coisa como certa ou errada, a gente não pode embutir nosso próprio juízo de valor, mas analisar de forma imparcial, livre de preconceitos, quaisquer que sejam eles. Se alguém me propusesse tirar fotos nua, eu não aceitaria por motivos bem pessoais que não vem ao caso agora, mas qualquer pessoa que tope fazer isso não vai me escandalizar. Aliás, existem vários tipos de nudez, e sinceramente, as fotos da atriz não são nada agressivas, são apenas fotos de uma mulher gorda que se ama e aceitou participar de um projeto super legal, que mostra a nudez com uma naturalidade poética. Aliás, falando em projeto, ele se chama 365 nus, e é do fotógrafo Fernando Schapfer, e qualquer pessoa que observar com atenção no site, verá fotos de extremo bom gosto, que brincam com efeitos de iluminação e as proporções dos corpos nus, da mesma forma que consegue captar imagens lindas nos mais variados lugares e ambientes. Nessa proposta, o que importa é levar as pessoas à uma observação sem preconceitos e sem quaisquer tipos de estigma sobre os corpos, sejam eles quais forem, de famosos ou anônimos, nas suas mais diversas formas. Mas quando uma gorda negra resolve tirar a roupa, seja para esse ou qualquer outro tipo de projeto, a beleza dio trabalho perde a vez e o que entra em evidência é o preconceito de que a mulher gorda, deveria ter tido a decência de não ter posado nua.
Agora me digam, por que a nudez da atriz soou tão ofensiva para as pessoas, porque seu corpo foi motivo de tantas polêmicas nas redes sociais? O fato é que vivemos em uma sociedade, que prega valores e padrões que ninguém consegue seguir ou manter, e por conta de tantas imposições, um mundo de gente se sente inadequado e os consultórios dos psicólogos e psiquiatras estão cada vez mais cheios de pessoas buscando a cura que não chega, para uma doença que sequer sabem qual é.  No meio de tanta infelicidade latente, encontrar alguém que se sente feliz e confortável com seu corpo, soa como algo revolucionário e até mesmo transgressor, e ao ler as declarações da Priscilla, eu tive ainda mais certeza do que eu estou falando:
Posar nua, pra mim, é sempre uma libertação. Desde que fiz o meu primeiro ensaio, há uns quatro anos, virei outra pessoa. Não tenho mais vergonha do meu corpo, e sei que sou linda e gostosa mesmo sendo uma mulher grande. E mesmo assim, é sempre um choque para a sociedade e família. Hoje em dia, é uma das fotos que mais gosto de tirar. Onde me exponho, me liberto e seduzo. Eu adorei o projeto do Fernando (Schlaepfer, fotógrafo), por mostrar corpos comuns nus todos os dias. A nudez é a coisa mais natural do mundo. É como nascemos e deveria ser visto com muito mais naturalidade do que a nosso sociedade hipócrita impõe. Me senti muito confortável com o Fernando, e olha que não nos conhecíamos antes das fotos, mas a energia leve e o profissionalismo dele foram tão grande, que apesar de ter acabado de conhecê-lo e de estar no meio de uma boate, me senti tão bem que já não queria mais botar a roupa”.


O fato é que dentro do contexto “sociedade” a única coisa aceitável que uma mulher gorda pode fazer, é viver escondidinha no seu canto, se lamentando pelos seus quilos à mais, e com o olhar temeroso e triste de quem pede desculpas por ter fracassado. Qualquer coisa que fuja disso é visto com reprovação e infelizmente até gera agressões à quem experimentou “pensar fora da caixa”. Mais uma vez eu digo, que eu não posaria nua, e não importa se você que está lendo posaria ou não. O que importa é que a Priscilla ou qualquer outra pessoa que queira posar nua, tem o direito de fazê-lo sem ser questionada ou vítima de preconceito por conta do seu peso. O engraçado é que vemos o tempo todo gente famosa se despindo em ensaios diversos, inclusive nesse projeto tem vários, mas só as fotos da gorda geraram tantos comentários negativos. Seja como for, isso só reflete o quanto ainda  existe maldade em algumas pessoas, que criam subterfúgios para validar o seu preconceito. Seria imensamente engrandecedor aliás, se cada pessoa que critica quando um gordo se mostra, começasse a analisar porque a imagem do corpo gordo a fere e afronta. Porque de fato, as grades que querem nos aprisionar numa perfeição que não existe, surgem das mais variadas formas em pessoas distintas, sendo assim, quando algo que não tem nada à ver com a sua vida, que diz respeito única e exclusivamente à vida do outro gera tanta revolta dentro de você, certamente o problema está em você mesmo. O grande problema é que a maioria das pessoas é soberba demais para simplesmente admitir.
A intenção desse post é única e exclusivamente levar as pessoas à reflexão, e eu espero sinceramente que pelo menos em alguns eu tenha conseguido.
Até a próxima!

Lista de Lojas Virtuais que vendem vestidos plus size do 46 ao 60

por
Já tem um tempinho que tenho reparado uma certa insatisfação de mulheres gordas em busca de peças que realmente lhes caibam. Sim, eu sei, existem as marcas e grifes plus size, mas todos nós sabemos que muitas delas, trabalham com peças extremamente pequenas e que não atendem de fato quem precisa de roupas grandes. Notei que muitas marcas trabalham com peças no máximo até o tamanho 54, e mesmo assim um 54 que veste um 52 apertado. A questão da padronização das medidas em busca de uma modelagem realmente generosa, é uma questão ainda bem complicada, até porque, o mercado plus size no Brasil, por mais que tenha evoluído e crescido nos últimos anos, ainda está engatinhando, se formos compará-lo ao que se vê lá fora. Sendo assim, resolvi trazer para vocês algumas dicas de lojas que produzam peças plus size (especialmente vestidos),  com tamanhos mais generosos. São opções de lojas para que vocês possam comprar na comodidade de suas casas e felizmente, a maioria delas trabalha até o manequim 60. Vamos saber quais são essas lojas, então?

 UPSY

A marca que inicialmente importava vestidos de marcas internacionais famosas, resolveu investir em uma produção própria e hoje tem peças que seguem o estilo retrô e pin-up, sempre com estampas alegres que podem ser florais, folhagens, geométricas, xadrez, póas, cupcakes dentre outros, mas também tem vários modelos em tecidos lisos. Os modelos que mais fazem sucesso são os de cintura marcada com saia gode, mas eles também produzem modelos mais ajustados ao corpo. As peças são comercializadas através do Facebook e nas diversas feiras que eles participam. Não fazem sob medida e tudo é comercializado em pronta entrega. Os manequins chegam até o 58/60.

 Kisielevski

Apesar do nome complicado, a marca é super descomplicada  e muito jovem, e tem peças super alegres para o dia à dia, da mesma forma que também tem modelos mais elaborados para festas. A marca investe em estampas alegres e coloridas, e também tem várias peças lisas ou com estampas mais escuras. Todas as peças são vendidas em esquema de encomenda e podem tanto seguir a tabela de medidas da loja, como podem ser feitas sob medida. Os tamanhos chegam até o manequim 60 sem problema e nem neura.

Ateliê Michelli Warmeling

A Michelli reproduz qualquer vestido que a cliente queira, seguindo suas necessidades de tamanho e tipo de tecido, mas também vive postando fotos de vestidos que ela mesma cria, que servem de inspiração para os novos pedidos. A pegada é super romântica, e o diferencial é que os vestidos são feitos com tecidos mais encorpados, o que ajuda a não marcar muito o corpo e ajuda (e muito), a disfarçar as gordurinhas. As peças apesar de manterem uma pegada romântica, são super atuais, e bem semelhantes às que vemos sendo postadas pelas fashionistas no Instagram. As vendas são feitas pelo facebook no esquema de encomenda e com frete fixo de R$15,00 para todo o Brasil. As peças podem ser feitas em qualquer tamanho.

Jelly Maciel corsets e algo mais (antiga Lady Tragedy)

A marca vende não somente vestidos, como o próprio nome sugere, mas eles acabam sendo maioria. Sempre com uma pegada retrô, bem ao estilo pin-up, na maioria das vezes com cintura marcada e saia rodada em lindos godes. As opções vão desde tecidos lisos em cores mais escuras como preto e azul marinho, como podem também vir em tons de vermelho vivo ou mesmo estampas variadas. E tem de tudo: poás, floridos, bichinhos, cupcakes, rendas, enfim, as opções são muitas. O esquema é o de encomendas através da página do facebook, mas algumas vezes eles oferecem alguns modelos em pronta entrega. Os vestidos são confeccionados em qualquer tamanho, de acordo com o gosto e desejo de cliente.

Vestidos Lucy Jones

A marca tem uma pegada rockabilly apaixonante com um ar retrô que eu adoro! Os modelos também são super femininos com a tal cintura marcada e a saia rodada que eu já contei pra vocês antes, e as estampas são simplesmente fantásticas. Tem muita coisa bonita, como temas de cinema, personalidades, poás, florais, cupacakes, corações, frutinhas, listras, além dos modelos em tecidos lisos em cores diversas. As vendas são feitas na loja virtual, e vale ressaltar que os modelos da linha “convencional” vão até o manequim 52, e os da linha plus size, vão até o tamanho 60. 

Chica Bolacha

A marca é uma das marcas mais descoladas que já surgiu no cenário nacional. Tem coleções apaixonantes modernas, cosmopolitas, super femininas, que sempre contam com estampas exclusivas, que misturam um pouco de tudo: animais, flores, listras, grafismo, personalidades, bandas, rendas, tudo com uma pegada  que mistura o rocker com o Boho. Enfim, é complicado tentar explicar, é melhor deixar vocês darem uma olhadinha nas peças da loja para verem do que estou falando. As peças vão do P (38/40) ao 5G (58/60).

We Love Atelier

O atelier trabalha no esquema de encomendas e reproduz modelos escolhidos por suas clientes, mas também oferece algumas ideias e criações próprias. As peças podem ser personalizadas de acordo com o gosto pessoal de cada um, e não existe limites para o tamanho. Os pedidos podem ser feitos pelo Facebook da marca.

Wear Ever

A Wear Ever é uma marca super moderninha que vem crescendo muito no conceito da galera mais jovem, pois as estampas são sempre muito atuais, e os modelos com strappy, sempre fazem um sucesso absurdo. Na loja acha-se também além dos vestidos:  macaquinhos, blusas, camisetas, leggings, jardineiras, saias e shorts.  O EGG deles veste perfeitamente quem usa 54, e estamos na torcida para que eles ampliem essa grade e cheguem até o 60. Uma coisa legal é que na loja tem sempre peças em pronta entrega em promoção, sendo assim, vale a pena estar sempre de olho.

Renara Fiore

Quando a gente entra na loja a primeira coisa que vem à mente é: “Nossa, quanta coisa fofa!”, porque as peças são doces, delicadas e com uma pegada romântica que nos apaixona logo de cara. São estampas de florais, de bichinhos, de frutas, listras em tons pastel, sempre com um bom gosto incrível. No site da marca podemos encontrar além dos vestidos, saias, blusas, necessáires, brincos, dentre outras coisas. Os tamanhos vão do 34 ao 58 (seguindo a tabela de medidas da loja), e existem também a opção das peças serem feitas sob medida.

Madeleines

A proposta da loja é apresentar vestidos bem basiquinhos para o dia à dia, com foco no conforto que tanto precisamos. O caimento é sempre muito bom, pois a malha é de qualidade, mas senti muita falta de modelos estampados (só achei esse floridinho abaixo, à esquerda). Os vestidos também seguem a linha da cintura marcada e da saia rodada, mas com o diferencial dos bolsos, que eu particularmente achei um verdadeiro charme. A tabela de medida deles vai do 1 (manequim 36) ao 7 (manequim 56).

Xica Vaidosa
A empresa sempre trás as melhores tendências da moda nas suas coleções, e tem uma variedade imensa de modelos de vestidos. Felizmente além da loja virtual da marca, inaugurada recentemente, várias lojas virtuais revendem suas peças e com isso, existe a possibilidade de se garimpar os produtos com preços mais em conta. Além dos vestidos, eles tem calças, bermudas, shorts, macacões, macaquinhos, leggings, saias, blusas, camisetas, camisas, enfim, uma infinidade de peças que dá para compor um guarda roupa inteiro. Eles trabalham à partir do tamanho XPP, que veste 38/40 ao GG, que veste 58/60, e para não se confundir, é sempre bom dar uma olhadinha na tabela de medidas deles.
Kutum Ateliê  
Virei fã da kutun desde que conheci, pois a proposta é super interessante com peças modernas e que tem um estilo rocker romântico muito interessante. Eu tenho 20 vestidos da loja, porque simplesmente me apaixonei por essa proposta da saia godê preta, com a parte de cima com estampas diversas. Dá sempre a impressão que a gente está de saia e blusa, não é mesmo. Mas a loja também tem alguns modelos estampados, com poás, geométricos, com cores fortes e até floridos, embora o forte seja mesmo essa mistura do preto com alguma coisa. O maior tamanho é o 5G, que veste manequim 56/58.


Espero que esse post ajude muitas de vocês, pois geralmente as queixas são sempre as mesmas: é complicado achar roupa de gorda até em loja plus size! E mais uma vez, faço questão de dizer que vocês não devem se ofender com o termo “gorda”, porque o termo em si, não é ofensivo. O que ofende de fato, é o preconceito.
Até a próxima!

Meu Body Modelador da M Seven Plus Size

por
Há um tempo atrás, eu havia falado para vocês da M.Seven Lingerie neste post aqui, lembram? Naquela época, eu estava aguardando ansiosamente a chegada dos meus pedidos, e quando eles finalmente chegaram eu publiquei as fotos no Facebook, no Twitter e no Intagram. Na verdade os pedidos foram de um body modelador e de um conjunto de calcinha e sutiã, e logo quando pude ter as lingeries nas mãos, me dei conta da qualidade dos produtos, pois são completamente diferentes das coisas que estamos acostumadas a ver por aí. O body, em especial, tem o reforço de malha cirúrgica e por isso, é bem grosso e resistente e consegue modelar muito bem o corpo. Infelizmente e por culpa minha, na hora de passar as minhas medidas para a Monike (dona da loja) eu cometi um erro, e o body veio com o corpo pequeno, ou seja, quando eu puxava pra cima para ele ficar certinho nos seios, ele ficava muito apertado na parte de baixo e incomodava bastante. Como as peças da loja prezam pelo conforto (até por isso, eles só trabalham com peças sob medida), a Monike me pediu que o enviasse de volta para os ajustes. O body foi aumentado na parte de baixo logo após a renda, e assim, ficou perfeito no meu corpo e sem nenhum tipo de incômodo, me animei até em tirar fotos com ele. Nos próximos pedidos não vai mais ter erro, pois agora eles já tem as minhas medidas certas. Reparem que nas primeiras fotos, ele aparece sem os ajustes, e nas fotos com ele no corpo, ele já está ajustado.
 
Confesso que nunca fui fã de body/modelador, pois meu corpo é o chamado pêra, mais estreio embaixo e mais largo na parte de baixo. Tenho seios pequenos e cintura fina, mas também tenho quadris largos e bumbum grande, sendo assim, para que uma peça dessas fique boa na parte de baixo, fica dançando na parte de cima, e quando fica certinha em cima, me aperta demais embaixo. Por isso, eu havia desistido completamente de usar qualquer tipo de body, mas descobrir uma empresa que fabrica sob medida, foi o diferencial que me fez desejar experimentar algo assim. Ele consegue ser firme e colocar tudo no lugar, da mesma forma que nos mantém confortáveis dentro dele, e sem dúvida alguma, é o tipo de peça que não pode faltar no guarda roupa/closet de mulher nenhuma. Eu fiz várias combinações de look com ele por baixo e o resultado foi realmente maravilhoso, a gente se sente segura, com tudo no lugar, sem sobrinhas dos lados ou barriguinha saliente. Experimentei também usá-lo como blusa, com saia e com algum outro elemento por cima, como um blazer, um spencer, uma jaqueta ou mesmo um colete, e em todas as opções ficou muito bom. É claro que para usar um body como blusa, o mais indicado é que a peça seja lisa (sem renda), para que aquela pegada de roupa íntima não fique em evidência, mas sendo ele preto, e renda preta também, ela acaba surgindo como um elemento super discreto que consegue tranquilamente ficar aparente sem qualquer constrangimento. Por via das dúvidas, já vou encomendar um liso (só em microfibra e malha cirúrgica) e outro igual à esse (com microfibra, malha cirúrgica e renda), pois sei que vou usar (e muito) esse tipo de peça daqui pra frente.

Quem quiser dar uma olhadinha nas peças, é só fazer uma visitinha na Página da M Seven no Facebook e de quebra passar também no Instagram. Tem sempre novidades sendo divulgadas pelas redes sociais da empresa e antes que me perguntem, o preço desse body do manequim 44 ao 52, é 129,00 e do manequim 54 ao 60, é 149,00. Pode dividir no cartão, mas se o pagamento for à vista, por depósito em conta, o frete é grátis para qualquer lugar do Brasil. Então aproveitem, meninas, e façam já suas encomendas! 
Espero que tenham gostado de mais essa dica!

                                                       

 
 
 

Dossiê Plus Size: O que existe além da coroa de miss

por

Muito tem se falado em concursos de Miss Plus
Size
, e no meu próprio círculo de amizades nas redes sociais, o que eu mais
vejo são concursos e mais concursos, onde meninas e mulheres buscam
reconhecimento da sua beleza no universo plus size. Eu particularmente,
não sou contra os concursos e sei que os que são realmente sérios, servem de
vitrine para aquelas que desejam adentrar na profissão de modelo. É claro que
nem todas conseguem, mas conheço casos de várias que conseguiram ser vistas e
apreciadas por sua beleza e presença de palco, e hoje estampam catálogos de
moda por todo o país e são presença garantida em eventos de moda diversos. Mas
esse não é um conto de fadas onde no final, dá tudo certo, porque a maioria que
entra nesses concursos tem que ter em mente, que o mercado é super competitivo
e por vezes, nada justo.
Mas o que quero abordar aqui, não são os
concursos em si, mas o que tem levado um incontável número de mulheres a
investir nesses eventos e a forma como elas tem lidado com os títulos que tanto
desejam e até que já conseguiram conquistar. Outro dia, uma moça postou os
seguintes dizeres no Facebook: “Pode falar o que quiser de mim, mas vai ter
que me engolir! Sou gorda, mas sou miss, e você que é magra e não é nada?”

Achei aquilo tão ofensivo, que fiquei pensando no que levaria alguém a escrever
uma coisa dessas, e comecei a dar uma olhada no perfil dela, que por sinal
estampava diversas fotos sempre com legendas agressivas, fazendo alusão ao fato
dela ter conseguido uma faixa num desses concursos de miss. A questão é
que a muitas dessas participantes, enxergam esses concursos como um álibe, algo
que legitime o seu excesso de peso. Algo que faça com que sejam aceitas pela
sociedade e muitas vezes, pelas próprias pessoas da família, que em vários
momentos as criticam por não conseguirem emagrecer. Parece que a coisa funciona
assim: “É gorda, mas tem título de miss, tá perdoada! É gorda, mas é modelo
plus size, tá tudo certo!”
E o pior de tudo, são aquelas que depois de
receberem suas faixas, embarcam numa grande “viagem” realmente acreditando que
são modelos, e vivem postando nas redes sociais que estão fazendo um “job”,
quando na verdade, estão posando e desfilando de graça, para griffes e
lojas, que em vários momentos, nem as roupas lhes oferecem depois. Trabalho não
remunerado, não reconhecido, não recompensado e totalmente desmerecido.
Tenho percebido que essas faixas tem o poder de
transformar a cabeça dessas mulheres, e fazer com que percam o rumo e o plumo
das suas próprias vidas, tornando-as seres alucinados, carentes e dependentes
da aceitação que nem elas mesmas tem por si. Porque pensem comigo, se alguém
precisa de uma faixa de miss para se aceitar e se amar, essa pessoa de
fato até hoje não se aceitou e está longe de saber o que é amor próprio.
Aceitação é algo profundo e intimo demais, e é uma transformação que acontece
de dentro para fora. Algo que independe de fatores externos, mas se fortalece
na forma como nós mesmos nos entendemos, nos estimulamos e até mesmo, da forma
como escolhemos nos relacionar com o mundo. Eu resolvi me aceitar, e para isso,
não precisei que ninguém me dissesse que eu era miss alguma coisa.
Aliás, o título de nada vale se quem o detem, entende pouco de si mesma e está
com a auto confiança em frangalhos. O que essas mulheres precisam entender, é
que não precisam de concurso algum que valide que são especiais e que tem um
lugar na sociedade mesmo estando fora dos padrões que ela prega, isso é
conquista pessoal e cada mulher precisa ter a sua.

Algumas chegam a ser incômodas e chatas,
falando o tempo todo de seus “títulos” e faixas, numa vexatória exposição de
insegurança, porque se auto afirmam tanto, que sequer entendem que auto
afirmação é coisa para quem não tem certeza do que é ou faz. De verdade, vocês
acham que quem realmente se ama e se aceita, precisa ficar falando isso o tempo
todo, precisa justificar seu excesso de peso com faixas de miss? Quem
está gorda tem que entender que não precisa ficar se justificando de nada,
porque a moda agora é se justificar e ter sempre um motivo para mostrar à
todos. A onda é dizer que está gorda por conta da tireóide, porque parece que
ser for distúrbio hormonal, qualquer quilo à mais será perdoado, e você será
uma gorda feliz e respeitável, bem diferente da gorda preguiçosa que os outros
tanto atacam, quando não há problema de saúde algum. Espero que entendam, que
independentemente dos motivos que levam uma pessoa a engordar, essa pessoa
continua como qualquer outra, merecendo respeito e consideração das outras, e
que emagrecer não vai tornar ninguém melhor como ser humano e nem vai trazer a
auto estima perdida. Até porque, quem é inseguro por natureza, quando emagrece
“pendura” em outros motivos a sua insegurança de sempre.
E por falar em insegurança, isso me fez lembrar
de um caso em especial, bem antigo aliás, dos tempos do Orkut. Uma conhecida
minha, que tinha na época quase trinta anos, 
participava de diversos grupos de gordinhas, e a proposta desses grupos,
era unir gordinhos (as) e seus admiradores em encontros diversos, que podiam
ser em casas noturnas, ou mesmo em sítios e acampamentos. O mais curioso de
tudo isso, é que ela não era (e até hoje não é) gorda, mas só se sentia segura
competindo por atenção, num ambiente onde as mulheres fossem bem maiores do que
ela. Na sua cabeça, os homens iriam prestar mais atenção nela, pois ela estava
em posição de vantagem com relação às outras (por serem gordas), mas ao mesmo
tempo, não conseguia se aventurar em uma “competição” fora daquele círculo, no
mundo real. Suas amizades eram sempre com mulheres gordas, bem gordas, por
sinal, e era com elas que saia, conversava e convivia. Essa foi a forma
“cômoda” que ela encontrou de se sentir melhor consigo mesma e de se mostrar
superior e mais segura. O problema todo, é que nada disso adiantou de verdade,
e ela seguiu insegura e fragilizada como sempre, mentindo para si mesma e para
todos à sua volta.
O pior, é que assim como ela existem muitas,
que só conseguem se ver e se entender bonitas e tem resolvidas, quando estão
inseridas dentro do universo plus size, seja recebendo suas faixas, ou
mesmo “brincando” de ser modelo, o fato, é que ser gorda no meio das gordas, é
muito cômodo para qualquer mulher. O grande desafio, é ter toda essa segurança
vivendo e convivendo no “mundo real”, onde mulheres de todas as formas, idades
e tipos, estarão à nossa volta. O que precisamos entender, é que não dá para se
isolar e viver falando e convivendo somente com o que tem a ver com esse nicho plus
size
.  Precisamos ser seguras de
verdade, para podermos ser fortes o suficiente, para interagirmos com todo o
tipo de pessoa, e conseguimos mostrar nossa determinação, nossa auto estima e
nosso valor. Mas quando eu digo mostrar, não quer dizer que precisamos
“esfregar” essas coisas na cara das pessoas, porque as nossas conquistas como seres humanos, são frutos da nossa postura e da nossa atitude diante das situações da vida, e não por conta de chavões decorados de uma auto afirmação mesquinha.
E a intenção desse texto (gigante, por sinal),
em momento algum foi tirar a importância dos concursos sérios e dos
profissionais que tem lutado de forma digna pelo segmento plus size, mas
mostrar que a vida vai muito além das faixas e títulos conquistados, e que não
são eles que fazem com que sejamos felizes e realizadas, pois isso, tem que vir
de dentro. Por isso, não se apegue à uma coroa como se ela fosse a sua tábua de
salvação, e nem abrace a sua faixa, como se ela fosse a sua luz no fim do
túnel, e entenda, que você não precisa de nada disso para ser feliz se aceitar
de vez. Não caia no ridiculo de tentar validar seu peso com seus títulos e nem
impor às pessoas a sua importância, por conta das faixas que acumula na sua
jornada interminável de concursos de miss. Todas as que insistem nesse
erro, descobrem cedo ou tarde, que os títulos passam, mas a insegurança e a
amargura da alma permanecem, e todos os dias dão as mãos ao medo, numa tortura
terrível e que nunca tem fim.

Recebidos da Uau Lingerie: parte 2

por
Recebi mais uma caixinha com produtos da Uau Lingerie
e gostaria de compartilhar com vocês as lindezas que vieram, mas farei
isso em duas partes. Desta vez, gostaria de falar com vocês em especial,
da sessão plus size deles, pois esses dois conjuntos são de lá. Vocês
podem até estar reconhecendo esses conjuntos de outra postagem, pois já
postei esses modelos em outro post, só que em outras cores. Na verdade,
esses conjuntos realmente são fabricados por uma outra empresa parceira, a Recriar
Lingerie, e estão sendo vendidos com um preço bárbaro no site da Uau Lingerie.
Aliás, a loja revende produtos de diversos fabricantes, sempre
selecionados da melhor forma, para oferecer aos seus clientes os
melhores produtos. O primeiro conjunto é uma peça de um bom gosto
absurdo, e eu já tenho esse conjunto nos tons de preto e pink,
mas gostei bastante de ver esse modelo nos tons de  chocolate com
dourado também. A delicadeza da renda se uniu à sensualidade do cetim, criando
um resultado fantástico. Eu sou apaixonada por sutiãs com bojo, e esse
em especial consegue ser delicado e ao mesmo tempo ter boa sustentação,
pois tam a base mais larga, tem alças mais firmes e fechos reforçados. A
calcinha é um sonho, não é mesmo, linda de viver e fica uma graça no
corpo!  Ah, e essa linha plus size da loja, vai do 46 ao 54.

 
Esse
segundo conjunto, eu já tenho ele em vermelho e agora me arrisquei no
preto porque é básico e combina com tudo. Também com um bojo firme, o
sutiã da mesma forma do outro, tem a base super reforçada, assim como as
alças e os fechos. Apesar de ser preto, ele não consegue passar
desapercebido por conta dos detalhes, da delicadeza, da beleza e da
qualidade, também é uma peça da Recriar Lingerie e está na loja da Uau
Lingerie com um preço excepcional e e se eu fosse vocês, não deixaria
jamais de aproveitar para comprar. A calcinha veste super bem e tem
também um ótimo caimento.
 

Os
conjuntos mostrados, como já falei antes, são da linha plus size da
loja, mas existem vários modelos em tamanhos convencionais e eu gostaria
muito que vocês dessem uma olhadinha por lá. Além dos conjuntos de
calcinha e sutiã, eles vendem camisolas, pijamas, modeladores, dentre
outros, e vale super a pena dar uma boa olhadinha por lá e fazer umas
comprinhas. Com muito pouco eu posso garantir que dá para comprar
bastante peças e a entrega é super rápida.

Outra coisa importante, é que eles estão sempre fazendo promoções e sorteios pela sua página no facebook,
por isso, aconselho que curtam a página e fiquem de olho, para poderem
participar dos sorteios dos kits de lingerie que eles sempre fazem por
lá. Espero que tenham gostado de mais essa dica! Até a próxima!

Meus conjuntos da Recriar Lingerie: parte 1

por
Há alguns dias atrás, eu fiz esse post para apresentar  Recriar Lingerie para vocês, e agora, eu vou mostrar os conjuntos que tenho da marca, mas vou fazer isso aos poucos, porque tenho cinco e como tenho mais à caminho, acho que fica bem melhor se eu for postando aos poucos para os posts não ficarem gigantes, mas posso garantir que estou in love com cada um deles.  Quando a gente vê os produtos em uma determinada loja virtual, é uma coisa, mas ter o produto em mãos, e constatar que ele é de qualidade, é bonito e confortável, faz a gente se sentir muito feliz e satisfeita, principalmente quando estamos falando de lingerie plus size. E as peças da Recriar Lingerieacabam fazendo a gente se apaixonar, porque tudo nos mínimos detalhes, é pensado e feito com carinho, fazendo com que surjam lingeries que realmente valorizam a beleza da mulher plus size. Hoje, vamos falar de dois modelos de conjunto, o Melanie Plus e o Angeline.
O conjunto Melanie Plus é composto de microfibra, cetim e renda, e no site da empresa, eles oferecem ele em cinco cores: vermelho com preto,  pink com preto, verde com preto, azul com preto e castanho com dourado. Todas as cores por sinal, são lindas, pois eu andei dando uma olhadinha no Facebook deles, e vi fotos originais dos produtos e achei tudo maravilhoso, mas fiz a minha escolha pelo pink com preto. O conjunto é extremamente delicado e as rendas junto com o cetim, dão um toque burlesco que eu tanto amo. Apesar das rendas nas alças, a sustentação é perfeita por conta de uma base em microfibra bem resistente e as alças que ficam escondidinhas no meio da renda. A calcinha também é super delicada, com detalhes de cetim e renda na frente, criando uma peça sensual e ao mesmo tempo, muito elegante.

O próximo conjunto é o Angeline, que acabou se tornando uma paixão na minha vida! O sutiã dele também tem detalhes em renda nas alças e um prissado no bojo, que faz com que ele seja ainda mais delicado e romântico. No site da empresa, as opções de cores são: rubi, preto, branco, coral e verde, e eu escolhi o coral, pois essa cor fica linda no meu tom de pele. Mas como me apaixonei com força por esse conjunto, já resolvi que vou querer ele  também em preto e em verde!

O legal do conjunto Angeline, é que ele é ele acaba sendo romântico e sensual, mas ao mesmo tempo, em sapeca por conta da calcinha com rendinhas na parte de trás, e principalmente, por conta do lacinho no bumbum! Esse detalhe na verdade, faz toda a diferença e foi uma super sacada da empresa. O sutiã do Angeline, assim como o sutiã do Melanie Plus, apesar de ter renda nas alças, tem alças resistentes e uma base bem larguinha que assegura a sustentação. Depois de observarem bem as fotos abaixo, me digam se é possível não amar algo assim, porque sinceramente, eu não consigo!

Aproveito para convidar vocês a darem uma olhadinha no site, para verem todas as lindezas que tem por lá e vale lembrar também, que o frete é grátis nas compras à partir de R$ 99,00! Estou deixando os links diretos dos dois conjuntos mostrados no final do post, e quem quiser adquirir é só clicar. E em breve eu volto para mostrar mais peças da Recriar Lingerie  para vocês. Ah, e fiquem ligadas que vou liberar um sorteio maravilhoso de um conjunto de lingerie para vocês, e a ganhadora vai poder escolher o modelo que quiser no site da empresa!





Conjunto Melanie Plus – Link Direto
Conjunto Angeline – Link Direto

 

Apresentando: Recriar Lingerie – porque plus size também é luxo!

por
Eu conheci a Recriar Lingerie pelo Facebook, porque volta e meia, apareciam aqueles anúncios da empresa e de tanto que eles apareciam, acabei tendo vontade de conhecer  a empresa melhor. Fui na página deles e vi muita coisa bonita e de lá, já fui direto para o site, e posso dizer para vocês que o que eu encontrei por lá, me agradou muito. Para começo de conversa, geralmente lingerie plus size é sem graça e sem grandes investimentos em modelos, cores e texturas, e apesar de estarem aparecendo várias empresas investindo nesse segmento com peças bonitas e de qualidade, elas ainda não são tantas como a gente precisa e gostaria. Eu sempre fui detalhista na observação das coisas, mas depois do blog, eu fico de olho em tudo, nos mínimos detalhes que dizem respeito às empresas. E reparei que eles tem um site limpo, bem clean, de fácil navegação, com fotos bonitas e com boa qualidade, e que sua modelo plus size é nada mais, nada menos, que Géssica Carneiro, que muita gente conhece, pois ela inclusive recebeu o título de Miss Plus Size Carioca em 2011. A Géssica é linda e a coleção da Recriar está sendo super bem representada por ela, que tem manequim, 50, mas a loja tem opções plus size que vão do 46 até o 54.  As peças realmente são fabricadas com produtos de excelente qualidade, matéria prima de primeira, e trazem toda essa pegada de sensualidade que a gente tanto ama em ver nas lingeries. Os sutiãs tem a base reforçada e mais larga, mas nem por isso deixam de ser confortáveis, até porque, a microfibra usada é super macia e se adapta super bem à pele. As peças tem laços, rendas, texturas diferenciadas e fechos super delicados, e isso conta muito, pois cada uma delas ganha graça e uma beleza singular. Não posso esquecer de falar, que todos os sutiãs vem com extensores nas suas suas respectivas cores, tudo pensando no conforto das suas clientes, mas posso garantir que o sutiã estica bastante e na maioria dos casos, eles nem são necessários. Sinceramente, não tem como não se apaixonar pelos produtos deles, e eu, já garanti os meus, pois não sou boba nem nada! E em breve, mostro para vocês as minhas peças com todos os detalhes.

 

Outra coisa que eu não poderia deixar de falar, é que a história da Recriar também tem à ver com  a experiência pessoal passada pela família da própria dona, pois ela é magra, mas tem duas irmãs plus size, que sempre encontraram dificuldades em encontrar lingeries bonitas e de qualidade. Pensando nelas e de olho nesse segmento do mercado, ela resolveu investir sem medo e criou a Recriar Lingerie, e hoje além das lojas físicas e da loja virtual, eles vendem por atacado para empresas que queriam revender seus produtos em suas lojas também. Eles também trabalham com lingeries em tamanhos convencionais, mas eu resolvi colocar o foco na linha plus size, assim como eles mesmo fazem, porque pelo que percebi, o carinho especial deles, é mesmo pelo plus. Vale lembrar que na loja virtual eles entregam para todo o Brasil, com frete grátis nas compras acima de R$ 99,00, sendo assim, não tem mais motivos para não ficar bonita, linda e sexy dentro de uma lingerie plus size, então, vem correndo para a Recriar Lingerie! E curtam a página deles no Facebook, pois está rolando o sorteio de um lindo conjunto de lingerie por lá, para participar, é só clicar aqui e seguir as regras.

Apresentando: Estilo sem Medida, por Sara Leite

por
Quando eu conheci a Sara Leite no ano passado, ela ainda era conhecida como Sacoleira Virtual Plus Size, e o que seria isso? Bom, o caso é que ela garimpava peças das melhores marcas e griffes plus size do Brasil, e vendia pela internet para suas clientes. Como já tinha bastante experiência em vendas, ela sabia exatamente o gosto das suas meninas e com isso, a relação se tornou muito mais do que uma relação de vendas, mas uma relação de amizade e cumplicidade. Todo mundo que passou do 44 sabe o quanto é complicado achar aquela roupa legal, bonita, com qualidade e preço acessível, porque na maioria das vezes, o que vemos são peças sem graça, sem caimento e que não valorizam a beleza das mulheres com curvas à mais. Com o passar do tempo, o sucesso da Sara só foi crescendo e hoje, além da loja virtual, ela tem duas lojas físicas onde suas colaboradoras atendem sempre com atenção e carinho. Agora a loja atende pelo nome de Estilo sem Medida – por Sara Leite,  porque independentemente do tamanho ou manequim das suas clientes, o estilo é sempre garantido! Mas quem pensa que ela mudou o foco e a forma de atuação, está enganado, porque ela continua com o contato direto com suas clientes, e em sua página pessoal e na página da loja, ela posta as novidades, os lançamentos e principalmente, as promoções. Por isso, quem quiser comprar pela loja virtual, pode ficar à vontade, mas quem preferir comprar as peças pelo facebook, poderá fazê-lo com confiança, pois as peças chegam rapidinho. Por ela ser multimarcas, ela realmente seleciona o melhor da moda plus size e investe em peças que agradam em cheio a mulherada, abaixo, alguns dos modelos da loja:

Então, se você é uma gordinha fashion, não pode deixar de acompanhar as novidades da loja Estilo Sem Medida porque tem sempre  muita coisa boa rolando por lá, e ficar de olho também, porque as promoções são constantes. Em breve, eu postarei o look com um vestido lindo da loja, que me vestiu como se tivesse sido feito exclusivamente para mim. Enfim, roupas da moda, que são tendência e que atendam realmente os tamanhos plus size, vocês encontram na Estilo sem Medida, lembrando que nas compras acima de R$ 350,00 o frete é grátis e nas demais compras, o frete é fixo em R$ 15,00 para todo o Brasil! Abaixo, estou deixando os links da loja, da página e do perfil no Facebook.

Enfim, espero que tenham gostado de mais essa dica de loja e que
possam dar uma passadinha no site para dar uma olhada no tanto de coisas
lindas que tem por lá. 
Até a próxima!


Novo Vídeo: Apologia à obesidade ou apenas um pedido de respeito?

por
Ontem estourou mais uma polêmica no Facebook, onde uma senhora postou algumas coisas falando à respeito dos gordos e muita gente se pronunciou à respeito. Muitos a atacaram dizendo que antes ser gordo do que alcoólatra, já que entre as fotos da tal pessoa, havia uma em especial de várias bebidas, que ela dizia ter consumido em uma festa. Polêmicas à parte, não estou citando o nome de quem postou os tais comentários por um simples motivo, os comentários dela não são o que realmente interessa e não são eles que vão me roubar o foco! Acho desnecessário dar IBOPE para alguém que não está nem aí para quem ela ofendeu ou deixou de ofender com o seu comentário, até porque, se ela fala, é com total desconhecimento de causa, afinal, citar os obesos como negligentes e preguiçosos como ela fez, é no mínimo uma ignorância tremenda, algo inadmissível nos dias atuais, quando temos acesso à tantos tipos de informações. A verdade é que desde o dia 05 desse mês, eu havia gravado esse vídeo, que fala exatamente desse assunto: obesidade, e mostra de forma equilibrada, a visão dos dois lados da moeda.  Na verdade, esse vídeo foi gravado porque algumas pessoas não entenderam o vídeo intitulado “Sobre os Impropérios da Indústria Plus Size” e disseram que eu estava fazendo apologia à obesidade. Eu só não havia publicado em lugar nenhum, porque o som não está dos melhores (cachorros latem em alguns momentos), acabei gravando de muito perto e ele também ficou muito longo, mas diante da situação, ele representa muito do que penso e do que sinto, então vale como registro e como resposta para essa nova situação também. Não podemos nos esquecer que a obesidade é uma doença, e que tem matado milhares de pessoas ao redor do planeta, mas não podemos permitir que as pessoas de má índole, mascarem o seu preconceito por trás de um “cuidado” com os gordos, que sequer existe. Quem tem sentimentos gordofóbicos, deve guardá-los para si, e deixar que cada pessoa seja feliz à sua maneira, sem críticas desnecessárias. Enfim, quem quiser assistir à mais esse vídeo, é só dar o play.

Enfim, é isso, até a próxima!