Minha participação no Hashtag Bazar

por
No sábado passado, dia 14, aconteceu aqui no Rio de Janeiro a primeira edição do Hashtag Bazar e o local escolhido foi o ICE (Instituto Carioca de Educação), que fica na zona sul, no Flamengo. O salão onde ocorreu o evento é nos fundos da Instituição, e é um espaço bem agradável com banheiros amplos com espelhos (inclusive de corpo inteiro), que facilitam muito na hora de experimentar as peças. E falando em espelho, no salão havia um enorme, que foi super bem aproveitado, já que foi montado um espaço de cabeleireiro para cortes e penteados. Com relação aos expositores, havia bastante coisas interessantes e bonitas, com preços atraentes, e o legal desse tipo de evento, é que você não vai ouvir que não tem do seu tamanho, porque o foco mesmo era o plus size. A gente sente que houve um carinho muito grande por parte de quem participou, pois levaram peças lindas e tinha gente que veio de bem longe, com as malas abarrotadas de novidades para deixar o público ainda mais feliz. Eu fico muito satisfeita quando vejo essas iniciativas, porque é uma ótima oportunidade de comprar peças de lojas de outros estados com preços mais em conta, livres do frete e da má vontade e demora dos Correios. É só olhar, experimentar, gostar e levar! O evento contou também com uma mesa redonda com vários blogueiros e figuras atuantes no movimento plus size da qual participei, que tratou de temas relacionados à gordofobia e bullying nas redes sociais, e sem dúvida alguma, cada um de nós colocou seu ponto de vista, mas também aprendeu muito. Também houve a iniciação do Workshop de auto estima “Despertar” da modelo plus size Aline Bittencourt que tem sempre uma palavra especial para compartilhar. Fiquei feliz pois encontrei muita gente boa e desejo que venham mais e mais edições desse bazar!

A organizadora do evento, Larissa, está de parabéns, pois conseguiu criar um evento acolhedor num ambiente super organizado e democrático.  Quem não pode comparecer, não precisa ficar triste, pois a próxima edição já está marcada, será no dia 25 de junho no mesmo local, e dessa vez, contará também com expositores de moda em tamanhos convencionais, além dos já conhecidos (e amados) expositores de moda plus size.

E aproveitando a oportunidade, eu gravei um vídeo entrevistando as talentosas Thaís Oliveira, que tem se destacado muito no segmento plus size, com sua militância e vários títulos em concursos de beleza, e com a Terapeuta Sexual Daniela Maggah, que faz um trabalho super especial na dupla “Dani Candy e Dani Hot”, que são duas coelhinhas plus size, que abrilhantam feiras e eventos Brasil afora. Enfim, valeu super a pena ter ido e recomendo que não faltem no próximo, pois ao que tudo indica, mais uma vez, vai arrasar!

Aproveitem para acompanhar as novidades na página do evento no Facebook.
Até a próxima!

Não pode faltar: Jaqueta de couro (fake)

por
Eu fico tão feliz quando os dias aqui no Rio de Janeiro tão uma esfriada, que vocês não tem nem ideia! Infelizmente minha alegria não dura muito tempo, porque o tempo logo esquenta e nos impossibilita de usar aquelas roupas lindas e estilosas do outono/inverno. Mas mesmo assim, ainda acredito que valha super a pena investir em peças atemporais e que tenham personalidade, como as jaquetas de couro, de preferência, as fakes, pois são tão bonitas quanto as de couro natural, e ainda são mais em conta. Apesar da peça ter uma certa transgressão e ter essa pegada mais rock and roll, ela pode (e deve) ser usada com várias outras peças que de repente, nem façam parte desse universo, apenas para dar uma quebrada mesmo. Eu particularmente adoro jaquetas com vestido ou com blusa e saia gode, mas dá para criar looks variados, usando calças, bermudas, shorts e macacões e macaquinho, pois o que vale é a criatividade. Existem vários modelos, e a gente encontra essa peça com uma grande facilidade nas lojas, é só dar uma procuradinha, e para a alegria das mais gordinhas, existem várias opções plus size super bonitas e com preços até atraentes. Essa aliás, é o tipo da peça que fica bem em qualquer tipo físico, e que vai mudando de concepção à partir do momento em que vamos mudando os componentes do look. De botas, tênis, sapatilhas e até com scarpins, elas ficam super estilosas e conferem uma modernidade ao visual que é super bem vinda.

Está certo que as jaquetas pretas são preferência e que não tem como não amá-las, mas vamos combinar que as coloridas também são lindas!  Imagina compor um look total black e complementar com uma jaqueta com uma cor impactante? Fica lindo!  Vale super a pena investir sem medo, porque é o tipo de item que a gente nunca se arrepende por ter comprado. Sem dúvida alguma, se as jaquetas pretas já tem personalidade, as coloridas tem conseguem impactar ainda mais, mas não tenham medo, se joguem, porque na vida e na moda, a gente precisa aprender que não pode ter medo de se arriscar, de experimentar e de seguir nossas próprias inspirações e tendências.

Então, vamos aproveitar ao máximo esse outono/inverno para usarmos looks com jaqueta, porque elas são realmente peças que não podem faltar no guarda roupa da mulher moderna.

Até a próxima!

Por que a moda não enxerga os negros?

por
Quem está do lado de fora da situação, talvez diga que eu estou de mi mi mi. Mas gostaria de deixar registrado o meu desejo de ver os negros inseridos da forma que merecem, no mercado da moda e da beleza. E mesmo no chamado segmento plus size que deveria ser um elo de luta e resistência contra o preconceito, acaba se fechando muitas vezes dentro de um mundinho onde só as modelos de pele mais clara conseguem estar em evidência. São raras as lojas que utilizam modelos negras em seus catálogos, editoriais e desfiles, e isso é algo muito sério, se considerarmos que a população negra no Brasil está em torno de 54%. O que está acontecendo que nos tornamos invisíveis, o que temos que fazer para nos enxergarem como parte disso tudo? Por mais que eu me questione, não encontro respostas, aliás, o que a gente que é negro recebe como resposta, é que isso é coisa da cabeça da gente. Ao mesmo tempo que aqui no Brasil as coisas estão num nível de complicação extrema, no exterior vemos modelos negras belíssimas fazendo sucesso. E a coisa não é encarada como um favor, como uma participação por cotas, porque existe uma obrigatoriedade, nada disso. Em várias partes do mundo, modelos negras são vistas como quaisquer outras modelos e são valorizadas e remuneradas da mesma forma. 

Também questiono a qualidade do trabalho visual apresentado aqui no Brasil, pois grande parte dos maquiadores não sabe maquiar a pele negra corretamente, e muitos fotógrafos dizem ter dificuldade em fotografar pessoas negras. Sinto falta de ver ensaios glamourosos e super femininos como essas imagens abaixo, que são da Lany Bryant, uma loja internacional de moda feminina plus size, que sempre arrebenta. Eu acho essa modelo linda, acho as roupas da loja maravilhosas e a proposta desse editorial é fantástica e faz muito o meu estilo, por isso ilustrei essa postagem com essas imagens belíssimas. Enfim, acho que falta um verdadeiro comprometimento das indústrias da moda e beleza com a população negra, que apesar de viver esquecida e negligenciada, continua consumindo seus produtos cada vez mais, e hoje representa uma fatia polpuda do mercado. Pelo que tenho percebido, as coisas tem “até” caminhado, mas à passos tão tímidos, que quase não vemos evolução alguma. Está mais do que na hora de darmos um start nessa situação, porque precisamos, temos a necessidade, de nos vermos representadas nas modelos que estampam os catálogos e sites das lojas em que compramos. E espero sinceramente, que o segmento plus size comece a rever seus conceitos e enxergue as várias negras que tem potencial para serem modelos, porque eu mesma conheço várias. 
Espero que as coisas mudem o quanto antes, mas enquanto não mudam, vou fazendo a minha parte lutando sempre para que o preconceito não consiga vencer e nem se fortalecer, nunca! Sem vitimismo algum, apenas ciente e consciente do nosso papel dentro da sociedade.
Até a próxima!

Look da Vez: Conjunto branco e preto

por
Quem me acompanha por aqui no blog, sabe que eu tenho uma preferência por vestidos. Mas de uns tempos para cá, tenho investido em algumas saias e blusas, mas por enquanto, de forma tímida, tipo, eu compro três, quatro vestidos, para cada saia e blusa. Mas confesso que tenho gostado bastante. No look de hoje, eu quero mostrar esse conjunto de saia e blusa super bonito e que permite várias outras combinações, quando as peças são usadas de forma separada. Ele é da loja  Gullis Lingerie, que apesar do nome, vende muitos outros artigos além de lingerie, e depois de feito o pedido, ele foi postado no dia seguinte pra mim, e quando chegou, foi só alegria. Escolhi esse modelo, porque amo essa junção de preto e branco, acho chique e ao mesmo tempo, muito moderno. A blusa é feita num crepe encorpado, que não marca o sutiã, mas ao mesmo tempo tem um toque super suave. A saia é confeccionada com uma viscose mais grossinha, mas assim mesmo é forrada, e tem uma aplicação de renda guipir na barra, além de um cinto. Esse conceito de roupa mais comportada é chamada de moda evangélica e executiva, porque geralmente é o tipo de roupa onde a gente está totalmente coberta, mas ao mesmo tempo está bonita e elegante.

Esse conjunto está catalogado na categoria plus size, e vai do tamanho 46 ao 52. Faço votos que as empresas passem a fabricar peças em tamanhos maiores, pois a procura é grande, ainda mais quando as peças são de qualidade como essas. Esse tipo de roupa serve perfeitamente para eventos onde a gente tenha que estar mais arrumadinha, como um teatro por exemplo, mas também transita super bem em ambientes de trabalho mais formais, por isso, é uma roupa na qual vale super a pena investir. Ah, também fica bem legal para ser usado na igreja,   pois as evangélicas hoje em dia, capricham (e muito!) em seus looks para os cultos. Se alguém se interessar pela peça, estou deixando o link direto do produto logo abaixo, mas aproveitem para dar uma olhadinha nos outros modelos da loja, pois são vários.

Espero que tenham gostado, e até a próxima!
Conjunto Plus Size em Preto e Branco – Link Direto

Não pode faltar: colete jeans

por
Algumas peças de roupa são realmente atemporais, entra ano, saí ano e estão sempre em alta. Dentre elas está o colete jeans, que fica perfeito com tudo, além de dar um charme especial à qualquer produção. Como aqui no Brasil mesmo no outono/inverno os dias não são tão frios, a solução é usar os coletes como sobreposições, pois não aquecem tanto quanto uma jaqueta comum e ao mesmo tempo, protegem o corpo. Mas independentemente da proteção, em vários momentos usamos para compor o look mesmo, para dar um up no visual. Os coletes jeans são sempre muito joviais e modernos e se apresentam com várias opções de lavagem, andei fazendo uma pesquisa em várias lojas virtuais plus size, e reparei que elas estão bem abastecidas com essas peças, com preços médios em torno de R$ 120,00/R$ 150,00. Como se trata de uma peça com uma durabilidade longa, o preço citado é mais do que justo, mas se você tiver alguma jaqueta em casa encostada, poderá cortar as mangas e criar uma jaqueta. Eu mesma encontrei duas jaquetas que eu não usava há muito tempo, uma delas aliás, nem chegou à ser usada. Sendo assim, resolvi cortar as mangas e para a minha felicidade, ficaram coletes lindos!  O legal dos coletes, é que servem para criar composições com peças diversas, pois podem ser usados com saias, shorts, macacões, bermudas e vestidos. Também existe a possibilidade de deixar o colete personalizado com o uso de spikes, rendas, paetês e qualquer outro elemento que o deixe com uma cara diferente, afinal, não há limites para a imaginação e a criatividade.
Sobre reaproveitar jaquetas fora de uso para fazer os coletes, queria dizer mais algumas coisas. Outro dia eu estava prestes a comprar um colete jeans numa loja virtual, até por isso disse para vocês que as lojas estão abastecidas com eles e sabia até o preço médio. Felizmente eu acabei comprando outras peças e deixei o colete de lado. Falo felizmente, pois depois que criei os meus, percebi que ficaram super bonitos e me caíram super bem. Não quero desestimulá-las à comprar as coisas, mas que o façam de forma consciente, pois muitas vezes investimos dinheiro em coisas que sequer usamos, ou temos algo muito parecido em casa guardado. Se for para comprar, compre, mas pense antes se realmente precisa daquela peça, se realmente vai usá-la e se a compra dela não vai afetar de forma negativa as suas finanças do mês (ou dos meses seguintes, em caso de parcelamento). Enfim, estamos enfrentando dias difíceis com essa economia louca, e me sinto na missão de trazê-las sempre à consciência de que precisamos consumir de forma consciente. Em breve posto fotos de looks com as jaquetas para vocês verem.
Até a próxima!

Prince: o adeus ao Príncipe do Pop

por
Ontem Prince nos deixou. Viveu 57 anos dos quais, 40 deles, foram dedicados à música. Para os mais jovens que por acaso desconheçam a importância dele no showbiz, ele foi um dos artistas mais influentes da música pop, sendo cantor, compositor, arranjador, multi-instrumentista, dançarino e ator. Ele teve a oportunidade de ganhar sete prêmios e 30 indicações ao Grammy, um Oscar, um Globo de Ouro e quatorze músicas no top 10 da Billboard nos EUA. Sem dúvida alguma, a música que o projetou para o grande público foi Purple Rain, de 1984, e o mais interessante de tudo, é que até o final, ele estava em atividade. Sua música era uma mistura de funk, R&B, soul, new wave, jazz, rock, pop e hip hop, e ele conseguia unir todos esses elementos com o uso de sintetizadores e bateria eletrônicaMas mais do que citar o quanto ele era talentoso, gostaria de deixar algumas impressões sobre a sua parte visual, pois sem dúvida alguma, ele foi um dos artistas que mais ousou, porque há anos atrás, quando tudo era mais complicado e o preconceito era ainda maior, ela surgia com um estilo andrógeno, com maquiagem nos olhos, cabelo alisado (em vários momentos eram laces), roupas com cores espalhafatosas, coladas no corpo, curtas, com babados, rendas, frufus, jóias, óculos, e vários outros elementos que deixavam seus looks totalmente inusitados. Outra coisa interessante, é que ele era uma metamorfose ambulante, pois cada dia estava de um jeito, de uma forma diferente, e conseguia unir várias tendências, tornando-se uma figura muito interessante, pois era over de uma forma que agradava o público em cheio. Tudo em Prince era demais, tudo nele era em excesso, ele jamais passaria despercebido à qualquer pessoa, pois conseguia ser impactante mesmo calado, apenas com um olhar. Sinto muito que ele tenha partido, pois fica aquela sensação de que ele poderia ter ficado mais, feito mais e vivido bem mais. Abaixo uma seleção de imagens que mostram esse camaleão do pop em vários momentos.

Fiquei sabendo que Prince deixou cerca de 2.000 músicas inéditas em um cofre que ficava embaixo do seu estúdio, sendo assim, certamente ainda serão lançadas muitas coisas dele, vários trabalhos inéditos. Abaixo deixo vocês com uma apresentação recente dele cantando a música que gravou seu nome na história da música pop, Purple Rain, e espero que todos nós possamos nos lembrar dele assim, apaixonado pela sua arte e acima de tudo, muito talentoso. Espero sinceramente que ele descanse em paz, pois por aqui cumpriu seu papel brilhantemente.
Até a próxima!

No poder dos Harness

por
Já tem um tempinho que eu tenho observado nos desfiles das semanas de moda um acessório super moderno. Trata-se dos Harness, que na sua tradução literal, significa arreios, mas na verdade são uma mistura de cinto com coleira. O acessório tem uma pegada super fetichista  e sensual, e já caiu no gosto de muita gente. Muitas pessoas ainda confundem os Harness com os Strappy Bras, mas na verdade o primeiro trata-se de um sutiã com tiras, que podem ser duas ou múltiplas, na parte da frente, ou atrás. Já os Harness são peças independentes das lingeries, podendo ser usados junto com elas (por cima ou por baixo) e até sem elas, diretamente no corpo. A função do acessório não é suspender ou sustentar nada (até porque não é lingerie), mas apenas abraçar o corpo, independentemente das suas formas. Existem Harness de diversos modelos, podendo ser para a parte de cima do tronco, ou para o tronco todo, chegando até os quadris. Na verdade, existem modelos que chegam até as pernas. Eu posso dizer que amei esse acessório e super usaria, aliás já imaginei mil produções com essa peça porque eles ficam lindos usados com vestidos ou mesmo em combinações de blusas mais justinhas com saias godes, e até mesmo com blusas mais justinhas com shorts, calças ou saias justinhas também. E posso garantir que sabendo combinar direitinho, eles pode, ser usados em várias ocasiões e oportunidades, o que vale, é a criatividade.

Os Harness tem uma pegada sensual muito forte e por conta disso vão exigir que se tenha atenção na hora da escolha do look, no caso de ambientes em que uma sensualidade mais exagerada não seja bem vinda.  Nos casos em que a sensualidade seja o objetivo, eu nem preciso falar mais nada, porque a peça já fala por si. Esse acessório pode ser usado por qualquer pessoa, desde as mais magrinhas, até as gordinhas, mas temos que ter cuidado, pois a intenção não é usar as tiras apertadas, apenas ajustadas ao corpo.
Até a próxima!

Listras em preto e branco nunca saem de moda

por
Desde sempre a combinação de preto com branco dá certo, e quando essa união vem através de listas, o resultado é simplesmente maravilhoso! Usar listras em preto e branco é garantia de nunca errar no look. Existem versões de todos os tipos, com listras proporcionais umas às outras, com listras mais largas e mais estreitas umas das outras, com listras retas e até mesmo, com listras criando lindos efeitos na diagonal. Há quem diga que somente as magrinhas podem usar listras horizontais, mas eu não levo isso em conta, até porque acredito, que tudo dependa da escolha da peça que vai cair melhor no nosso corpo, afinal, uma boa modelagem é tudo! As listras em preto e branco podem ser usadas em todas as estações do ano, não são uma opção apenas para o outono/inverno, e felizmente é super fácil achar essa estampa em lojas de todos os tipos.

Todo mundo que me conhece sabe da minha predileção por vestidos, mas devo dizer que estou super in love com saias godes com estampa de listras em preto e branco. A estampa consegue ser clássica e moderna ao mesmo tempo e permite várias combinações. No meu caso em especial, imagino as saias godes que eu tanto quero, fazendo companhia à blusinhas mais justinhas no corpo e se for o caso, dependendo do clina no dia, a sobreposição de uma jaquetinha, colete ou mesmo um blazer. Até as blusinhas em preto e branco caem super bem, e minha implicância é mesmo com as calças, e eu entendo o motivo, é porque há algum tempo atrás, elas foram uma verdadeira febre em todos os lugares (lembram?). A gente ia na rua e de dez pessoas, onze estavam com essas calças. Enjoei por overdose!

Viram como essa estampa fica bem em tudo? E quem quiser dar um up no visual, é só misturar o preto e branco com uma cor mais forte e chamativa, como na imagem acima. Fica ousado, estiloso e super chique ao mesmo tempo. E como as cores sempre são bem  vindas, vamos ousar usá-las também no outono/inverno, pois elas conseguem impor muito mais personalidade aos looks e deixam qualquer mulher muito mais bonita. Eu sempre digo que se existem tantas cores no mundo, é porque temos o direito de usar cada uma delas.
Até a próxima!

Gorda Flor: uma doce celebração à beleza

por
Já tem um tempinho que eu acompanho o trabalho da Helen Mozão pelo facebook, e me encanta a forma singular que essa baiana arretada, consegue transitar no universo da beleza negra. Através das suas lentes, somos sempre brindados com imagens de pura poesia, que remetem à uma beleza que na maioria das vezes não é valorizada pela mídia. Como negra, posso dizer que em vários momentos sentimos a necessidade de nos sentirmos representados por quem realmente entenda do assunto, ou seja, outro (a) negro (a). Nos seus trabalhos, sempre vemos a beleza da mulher negra sendo mostrada com alegria, beleza, singeleza e sensualidade, e não são raras as fotos onde mulheres negras e gordas, são empoderadas. Embora muita gente insista em dizer o contrário, o preconceito racial ainda é muito grande no no nosso país, e o preconceito contra as mulheres gordas, também é algo latente. Agora tentem entender os dilemas que as mulheres negras e gordas vivenciam todos os dias, para perceberem a importância dessas ações de empoderamento. Pensando nisso, surgiu o editorial Gorda Flor, que tem como objetivo ajudar a empoderar através da fotografia, mulheres gordas independentemente do seu manequim, transmitindo a beleza e a força das suas curvas. Nesse trabalho, o termo gorda não é visto como pejorativo, e além da criação do Instablogger @gordafloroficial, ainda existe a previsão da criação de um espaço de discussões sobre as mulheres gordas e  suas lutas diárias por respeito e igualdade. Esse é o segundo editorial do Gorda Flor e contou com a participação de cinco modelos plus size baianas, que representaram muito bem a beleza da mulher negra e gorda.

Sobre a idealizadora do projeto
Helen Mozão tem seu trabalho voltado para a fotografia e poesia marginal, com foco no empoderamento de mulheres e homens que estão à margem dos padrões visuais e corporais. O projeto ainda conta com o apoio do blog Baiana Size (Instagram: @baianasize), blog de moda plus size com tempero baiano 
Ficha Técnica
Fotografia: Helen Mozão
Modelos: Dandara França, Lailane Dórea, Lourani Maria Carneiro, Najara NBlack e Tânia Neres
Make Up: Larissa Montenegro
Até a próxima!

Como a Ludmilla consegue mudar tanto de cabelo?

por
Não há como negar que desde que surgiu no cenário musical, que a cantora Ludmilla tem evoluído muito, em todos os aspectos, por sinal. E depois que foi contratada pela Warner, ela mudou mais ainda, pois a cantora vem apresentando melhoras consideráveis na parte musical e também no visual. As roupas estão muito mais bonitas e transadas, a maquiagem mais acertada, fez plásticas no corpo e no nariz, e os cabelos, ah, quanta diferença. No início da carreira, quando ela ainda se apresentava como MC Beyoncé, ela exibia um visual de gosto duvidável, que para não deixar o post muito longo, não vou comentar e nem publicar fotos por aqui, mas que vocês tem acesso fazendo buscas no amigo Google. Depois da mudança de nome e de estilo, ela começou a melhorar muito o visual, e passou a surgir com looks e makes mais elaboradas, e mantinha um mega hair com fios mesclados, onde os mais claros prevaleciam.

Depois de um tempo, os fios usados no mega hair foram ficando cada vez mais claros, mais loiros, e ela surgiu com fios com cachos mais largos, suavemente ondulados e até mesmo, com os fios completamente lisos. Como todos nós sabemos, ela é uma grande fã de Beyoncé (o nome que ela usava anteriormente, era em homenagem à cantora), e optar por usar um cabelo mais claro é algo previsível, levando-se em conta que Beyoncé em vários momentos surge com diversos tons de loiro, que vão do acinzentado ao platinado. No meu ponto de vista, a única coisa que estava pesando de forma negativa, era o mega hair mal colocado, pois as emendas com cola de queratina, sempre estavam à mostra. Aliás, era gritante a diferença do cabelo étnico dela e do cabelo usado no mega, a frente estava sempre feia, reparem nas fotos abaixo.

Como seria previsível Ludmilla, assim como Beyoncé, Rihanna e tantas outras cantoras internacionais, acabou optando pelo uso de laces (perucas mais elaboradas), e pelo que eu soube, na sua última viagem aos EUA, ela trouxe uma mala repleta delas. Essas laces são bem caras, porque ficam bem naturais e dão a impressão do cabelo estar mesmo saindo do couro cabeludo da pessoa. O fato é que o mega hair exige tempo para ser feito e pode chegar até à 12 horas de trabalho, enquanto as laces são colocadas em poucos minutos, e para quem precisa estar sempre viajando fazendo shows e atendendo à compromissos diversos, que vão desde gravações até comparecimento em programas de TV, ganhar tempo é algo super bem vindo. Fora que o mega hair dela, conforme foi mostrado acima, deixava à desejar e em tempos de TV em HD, esse tipo de falha é facilmente notada. Ela começou usando uma lace lisa castanho escuro e azul nas pontas, eu gostei bastante! Achei que super combinou com o estilo despojado dela.

Ela  não demorou muito e surgiu com uma lace lisa com corte chanel e fios platinados. Muita gente falou mal e criticou dizendo que pessoas negras não podem usar cabelo loiro (oi!?),  o que eu acho de um racismo extremo. Em pleno 2016 perceber pessoas com esse tipo de discurso, me faz duvidar de que a humanidade está evoluindo, mas enfim, a Ludmilla que está certa, porque está pouco se lixando pra isso! Aliás, ela  postou nas suas redes sociais uma montagem com fotos dela com essa lace, e sem ela, com os cabelos naturais trançados (geralmente as laces são usadas por cima dos cabelos trançados para ficarem mais baixinhas e com aspecto mais natural), ou seja, ela não está escondendo de ninguém que é lace, e pelo que percebi, está mais é se divertindo muito com essa possibilidade de mudar à todo momento, com toda essa facilidade e rapidez.

Finalmente ela surge agora com uma lace cacheada em um show em Fortaleza, e acho que daqui pra frente, ela não deixa mais essa vida de laces, porque vamos combinar, se a Diva Beyoncé não abandona, é porque realmente o babado é bom! É claro que as famosas usam laces de fios humanos e por isso, estamos falando de peça caras, mas a durabilidade delas é infinitamente maior do que as que são feitas de fios sintéticos, sem contar a naturalidade que é fora de série. As laces de cabelo humano também podem ser descoloridas, pintadas, pranchadas, enroladas e não ficam embolando como as sintéticas, que ao contato com o suor, água do mar, piscina e até mesmo o vento, em vários momentos embolam. Enfim, quem tem grana para fazer como ela e comprar logo uma mala de laces de cabelo humano certamente não vai se decepcionar!

Esse lance de laces é tão viciante, que até a mãe da Ludmilla, a Silvana, postou nas suas redes sociais essa foto, mostrando sua lace de pertinho. Sentiram a perfeição?  Eu tenho o olho clínico e já tinha percebido que essas laces chegariam no Brasil com força total, aliás, fiz três  posts há tempos atrás, contando que esse era o segredo das famosas para surgirem sempre com os cabelos bonitos e perfeitos, quem quiser dar uma olhadinha, estou deixando os links no final dessa matéria.

E ainda falando em laces, há algum tempo aterás, eu recebi de uma empresa internacional com quem fiz parceria, a Hairbro, uma full lace de cabelo humano e eu fiz dois vídeos onde eu mostrei o produto nas mãos e na cabeça também. Infelizmente não me adaptei com o modelo, pois como eu explico no segundo vídeo, eu queria algo mais cheio, com mais volume, e acabei vendendo ela e ficando no mega hair mesmo. Mas se um dia eu ficar rica igual à Ludmilla, é bem provável que eu faça como ela, vá aos EUA e volte com a mala cheia de laces, até porque pera Divar sem medo, a gente tem que ter vários modelos, como já citei acima. (sonhar não custa nada!)


Enfim, é isso. Acho que deu pra explicar direitinho e tirar a curiosidade de vocês à respeito da “fórmula mágica” que faz as famosas mudarem de visual tão rapidamente.

Até a próxima!

O segredo dos cabelos perfeitos: perucas!
Força na peruca – aprenda sobre full laces
Hairbro: Full laces perfeitas para divar sem medo